Teenage Wildlife
Home Message Archive Random Theme
um boêmio melancólico de bosta que não consegue ter reacionamentos sérios e tenta viver uma vida aceitável
»
Amor

Eu vejo um vagaroso e simples rapaz em uma rua movimentada
Com uma tigela em sua mão trêmula
Tentando sorrir mas se ferindo infinitamente… Ninguém nota
Eu sim, mas sigo em frente

Um homem velho fica nú e beija uma boneca erótica em seu sótão
Ela está quieta e ele está prantos
Quando ele finalmente goza seus olhos estão transbordando.

Vejo um cão ferido em um beco pungente, ele tenta me morder
Todo orgulho havia deixado seus olhos selvagens babando
Gostaria de ter minha perna de sobra.

Uma mãe visita seu filho, sorri para ele através das grades,
Ela nunca o amou tanto

Uma garota obesa entra no elevador comigo
Vestida extravagantemente, uma borboleta verde no seu pescoço
Seu perfume terrivelmente doce me ensurdece
Ela vai jantar sozinha
Isso faz dela ainda mais bela

Vejo a face de uma modelo em uma parede de tijolos
Uma estátua de porcelana perfeita ao lado de um assassinato de uma cidade violenta.
Uma cidade que adora à carne

A primeira coisa que ouvi quando estava caminhando
Um homem contando sua história
Ele era você, a grama sob meus pés descalços
A fogueira na calada da noite.
O escuro celestial do céu e do mar

Erámos nos
Perambulando pelas estradas chuvosas, vasculhando as praias douradas
Acordando para uma nova galeria de maravilhas a cada manhã
Banhando-se em lugares por ninguém vistos antes
Náufragos em alguma ilha pintada a mate
Vestidos em nada mais do que mais belos trajes de surfe

Além de toda imortalidade estamos, balançando no respirar da natureza
No jovem ar da aurora da vida
Uma visão para silenciar os céus

Quero viajar onde a vida viaja
Seguindo sua eterna liderança
Onde o ar tem gosto de música de neve
Onde a grama cheira como o Éden recém nascido
Eu passaria sem homem, sem estranho, sem tragédia ou tristeza
Eu me banharia em um mundo de sensação
Amor, bondade e simplicidade
(Enquanto violados e aprisionados pela tecnologia)

O lembrança da sepultura da minha família foi o único momento
Que eu usei para experimentar o amor verdadeiro
Amor esse que permanece infinito
Como nunca serei o homem que meu pai é

Como você pode ”ser apenas você mesmo”
Quando você não sabe quem você é?
Pare de dizer ”eu sei como você se sente”
Como poderia alguém saber como o outro se sente?

Quem sou eu para julgar um padre, mendigo
Prostituta, político, malfeitor?
Eu sou, você é, todos eles agora

Querida criança, pare de trabalhar, vá brincar
Esqueça todas regras
Não há medo em um sonho

”Há um vilarejo dentro desse floco de neve?”
- Uma criança me perguntou.
”Qual a cor da nossa canção de ninar?”

Eu nunca estive tão perto da verdade até então
Eu toquei seu revestimento prateado

A morte é a vencedor em qualquer guerra
Não há nada de nobre em morrer por sua religião
Por o seu país
Por ideologia, pela fé
Por outro homem, sim

O papel está morto sem palavras
A tinta é inútil sem um poema
Todo o mundo morto sem histórias
Sem amor e beleza desarmante

Realismo descuidado custa almas

Já viu o Senhor sorrir?
Todo o cuidado pelo mundo fez do Belo um homem triste?
Por que ainda carregamos um dispositivo de tortura em nossos pescoços?
Oh, quão podre seu pré-apocalipse é
Todos vocês tolos de bíblias negras vivendo sobre uma terra de pesadelos

Eu vejo todos aqueles berços vazios e me pergunto
Se o homem nunca irá mudar

Eu, também, desejo ser um homem decente mas tudo o que sou
É fumaça e espelhos
Ainda dando de tudo, talvez eu seja digno

E lá sempre permanece a mudança de G para E menor

Added at 1:26am0 notes

Added at 4:20pm867 notes

Added at 4:19pm2,760 notes

Added at 4:15pm2,454 notes

(Source: syntaxbitch)


Added at 4:06pm446,504 notes